Clube do Livro: A Febre de Meg Abott

Peguei este livro para ler quando vi a sinopse, achei bem diferente dos enredos que encontramos por ai.Confesso que criei muitas expectativas sobre a história, mas não foi tudo isso(sou sincera com vocês e não vou falar que adorei o livro quando não foi tudo isso). O livro não é ruim, a história foi muito bem feita e você realmente se prende a ela, mas o final foi meio decepcionante. A febre é a prova que nem sempre ser fiel a história real pode satisfazer os leitores.
A história se passa na escola secundária  de Dryden que de repente várias meninas começam a ter convulsões e outras reações muito perigosas mas sem motivo aparente. Diante deste cenário, os pais se apavoram e começam a investigar e fazer suposições sobre a causa, entre a principal suposição está a vacina do HPV que estas meninas tomaram por pedidos da própria escola. Esta doença começa com Lise, melhor amiga de Dennie e junto com Gaby formam um trio inseparável, Deenie que é nossa protagonista não entende quando Lise passa mal no meio da aula e para piorar alguns dias depois Gaby também passa mal da mesma forma. Dennie sente que tem algo errado e também acha que é culpada por tudo isso, já que algumas semanas antes do incidente as três estavam no lago proibido da cidade.
O final não é tão bom quanto o enredo, durante o desenrolar dos capítulos mais meninas estão sendo levadas ao hospital para testes inconclusivos, e você acaba esperando que no final tudo seja resolvido e que o motivo para tais reações seja realmente convincente, mas na verdade não é. O motivo não explica o porquê das meninas ficarem assim, apenas explica os motivos das personagens principais- Lise e Gaby, e o motivo destas duas é muito pontual deixando claro que não seria possível que as outras meninas também fossem pela mesma causa. O que mais me intriga é: isto é uma história real, e na história real também foi inconclusivo o porquê e como tudo começou, as explicações dadas por médicos e estudiosos era que tudo não passou de uma histeria coletiva. Neste ponto realmente Meg Abott retratou e respeitou com veracidade a história real, mas acredito que numa ficção procuramos respostas para as coisas que não conseguimos explicar.
O legal do livro é ver a fundo como é possível uma doença assombrar tantas meninas sem um motivo aparente, a forma como Abott nos mostra isto é muito boa. Realmente ficamos presos ao enredo e querendo descobrir qual será o grande motivo por trás disso.
Anúncios

Sobre Jéssica Trindade E Marques

Jéssica Trindade E Marques, 23 anos, Paulista. Estudante de Letras pela Universidade de São Paulo, apaixonada por moda, beleza, cultura, gastronomia, e claro....livros!
Esse post foi publicado em Clube do Livro. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s